Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Mato Grosso

Em trabalho interdisciplinar, escola estadual de Várzea Grande cria dicionário afro-brasileiro

 |
Divulgação / Reprodução

A escola Estadual Jaime Veríssimo de Campos Junior, em Várzea Grande prepara uma programação especial para a comemoração do Dia da Consciência Negra, feriado do dia 20 de novembro. Por causa da pandemia, o projeto “A África que há em Nós: diversidades e semelhanças socioculturais” será desenvolvido de forma on-line.

Nesta quarta-feira (18.11) está programada uma palestra com o tema: “Consciência negra, por quê?”, com o jornalista, professor e presidente do Conselho Estadual da Promoção da Igualdade Racial de Mato Grosso, Manoel Francisco da Silva Junior, que abordará a importância do dia 20 de novembro para a população brasileira.

Segundo a professora Fernanda Arruda, uma das idealizadoras do projeto, até o dia 30 de novembro, estão programadas mais atividades de forma interdisciplinar com textos, músicas, oficinas dentre outras - tudo de forma virtual devido a Covid-19.

Fernanda Arruda assinala que o projeto foi desenvolvido entre setembro a novembro com os alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental do período vespertino envolvendo várias disciplinas. Participaram os professores de história Vânia Miranda e Luzia Gimenes (história), de geografia Lucimar Pereira e Maria Cristina, além da professora de ciências Sidneya Xavier.

Como se trata de um trabalho interdisciplinar, os alunos desenvolveram leitura de textos sobre o continente africano, história da cultura afro-brasileira, personalidades negras mundiais e ainda participaram ainda de uma exposição guiada: grandes heroínas negras, documentários sobre os contrastes africanos.

Além disso, os alunos desenvolveram leitura utilizando mapas nas disciplinas de história e geografia e realizando uma oficina de criação de um dicionário com vocabulário afro-brasileiro na disciplina de língua portuguesa, bem como a confecção da boneca Abayomi em ciências.

“Foi um trabalho de forma remota cuja necessidade em proporcionar aos alunos debates e momentos de reflexão e valorização da cultura africana e afro brasileira”, ressalta Fernanda.

Nesse período, os alunos participaram de atividades voltadas a temática, bem como de uma exposição virtual realizado pelo Núcleo de Pesquisa em Relações Raciais da UFMT que proporcionou um momento de extrema reflexão sobre as grandes heroínas negras.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Mato Grosso (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial