Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Mato Grosso

Servidores da educação discutem indicativo de greve nesta segunda-feira

 | João Vieira
João Vieira

Servidores da educação discutem a pauta de indicativo de greve por tempo indeterminado, nesta segunda-feira (20), a partir das 14h. A assembleia geral com profissionais da educação da rede estadual, convocada pelo  Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), ocorre na Escola Estadual Presidente Médici, em Cuiabá, e deve reunir representantes da marioria dos municípios mato-grossenses. 

Com apoio de 105 municípios o indicativo será levado para discussão aberta e, caso aprovado, a greve terá início na próxima segunda (27), com a paralisação de toda a rede estadual. 

De acordo com o Sindicato, a decisão do Conselho de Representantes foi pelo enfrentamento ao governo Mauro Mendes “diante da fala de interesse em avançar nas negociações com a categoria”. As respostas oficiais foram consideradas evasivas pela categoria.

O presidente do Sintep/MT, Valdeir Pereira, declara que foram inúmeras as tentativas de negociações, mas que o governo realizou apenas o debate sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal e o orçamento do estado.

Para além da exigência do cumprimento da Lei da Dobra do Poder Compra (510/2013), que equipara o salário dos profissionais da Educação às demais carreiras do executivo estadual, de mesmo nível, o Sintep-MT cobra condições de trabalho, infraestrutura das escolas e equipamentos pedagógicos.

O outro lado

Recentemente, diante do anúncio de paralisação da educação, o governador Mauro Mendes (DEM) declarou que greve não é solução. Ele enfatizou que greve é um direito dos servidores, mas a educação deve ser melhorada não só com aumento de salários.

O gestor ainda ironizou que se parar o serviço resolvesse alguma coisa, ele também faria greve. “Vamos todos fazer greve. O governador faz greve, o empresário faz greve, o jornalista faz greve, se isso resolver teremos um estado muito melhor”, destacou.

Mendes declarou que o Estado tem grandes dificuldades em pagar os salários, pois a folha aumentou muito nos últimos anos. Reconhece, porém, que o Sintep tem todo direito de aderir ao movimento. “Mato Grosso tem o terceiro melhor salário e ocupa a 21ªcolocação como pior educação. É o momento de refletir um pouco sobre melhorar a educação. Não é só melhorando salário que vai melhorar educação”.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Mato Grosso (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial