Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Beleza e Saúde

Governo apresenta projeto de retomada do novo Hospital Central

Obra está estimada em aproximadamente R$ 135 milhões. A unidade terá um total de 290 leitos voltados para o atendimento de toda a população mato-grossense

 |
Divulgação / Reprodução

Após 34 anos, o Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), apresentou um novo projeto para a estrutura do Hospital Central. O anúncio do retorno da obra foi feito pelo governador Mauro Mendes e pelo secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, nesta segunda-feira (25), no Palácio Paiaguás.

“Estamos apresentando, hoje, aquilo que será feito para colocar o hospital em funcionamento. A estrutura do prédio está perfeitamente intacta e poderá ser aproveitada. Vamos usar aqueles 9 mil metros quadrados e serão necessárias readequações, com base nas normas atuais para sua utilização”, disse o governador Mauro Mendes.

Segundo o projeto, a unidade terá, aproximadamente 32 mil metros quadrados de área total construída, sendo 9 mil da estrutura antiga e 23 mil de ampliação – isto é, construção nova.

O custo da obra é estimado em R$ 135 milhões e deverá ser executada com recursos oriundos das ações de combate à corrupção, realizadas pelo Ministério Público do Estado.

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, destacou que o investimento é um dos anúncios mais importantes na área da saúde, pois a obra da unidade permite o resgate da construção, totalmente reformulada.

Ainda de acordo com as declarações do gestor da saúde, a retomada das obras paralisadas é de extrema importância, pois, atualmente, os dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) mostram que Mato Grosso possui “uma elevada e crescente demanda reprimida na área da alta complexidade”, o que representa uma estimativa de “65 mil procedimentos represados”.

Além disso, a construção do hospital vai reverter os problemas enfrentados pela SES-MT no déficit de leitos por alta complexidade, aos altos custos com o serviço de Tratamento Fora do Domicílio (TFD) e, também, na área de judicialização.

“Ainda temos um volume muito grande de cidadãos que necessitam de uma solução na área da alta complexidade. Se não adotarmos uma medida, como aquelas que estamos realizando desde o início do nosso Governo – que inclui a modernização dos hospitais, criação do Hospital Estadual Santa Casa e agora, a do Hospital Central que vem para uma solução mais efetiva –, [a situação] deve se agravar ao logo dos anos”.

O presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, deputado estadual Paulo Araújo, destacou que a atual gestão “vem fazendo um trabalho diferenciado, proporcionado melhorias na área da saúde”.

A fase que dará início à realização da obra é a de lançamento do edital, previsto para a primeira quinzena de janeiro de 2020; a assinatura do contrato e da ordem de serviço devem acontecer em março e o prazo para o término das obras é de ao menos 24 meses, após a assinatura do contrato.

Quando a obra for totalmente finalizada, o Hospital Central terá nove salas cirúrgicas e ainda contará com 60 leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 36 leitos da Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), 21 leitos de Pronto Atendimento, 44 leitos de retaguarda e 129 leitos de enfermaria; um total de 290 leitos voltados para o atendimento de toda a população mato-grossense.

Dentre as especialidades previstas para o hospital, está a Cardiologia, Neurologia, Vascular, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Urologia,Ginecologia, Infectologia e Cirurgia Geral.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Beleza e Saúde (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial