Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Agronegócio

Plataforma digital da Empaer mapeia a agricultura e acompanha trabalho dos técnicos

A previsão é de que até o final de 2020, a Empaer tenha um retrato preciso da agricultura familiar no Estado de Mato Grosso

 |
Divulgação / Reprodução

A Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) tem 4.130 agricultores cadastrados através do Sistema de Acompanhamento e Gerenciamento das Atividades, uma plataforma digital utilizada para armazenar dados dos agricultores familiares e também acompanhar a eficiência dos técnicos no trabalho no campo. A previsão é de que até o final de 2020, a empresa tenha um retrato preciso da agricultura familiar no Estado de Mato Grosso.

O técnico de Administração Sistêmica da Empaer, Eder Antônio da Silva, fala que de forma transparente e moderna, a ferramenta está sendo utilizada via web e aplicada para coletar as informações dos serviços prestados, além de avaliar o ganho social dos produtores rurais e o trabalho executado pelos funcionários da empresa.

Ele explica que um técnico está inserindo dados pessoais dos produtores, cadastro das famílias, unidades produtivas, mapeamento com coordenadas geográficas, atividade produtiva, infraestrutura, equipamentos e outros. O trabalho com a plataforma teve início oficialmente no mês de junho deste ano.

Eder esclarece que o Sagae vai permitir um diagnóstico do trabalho executado pelos técnicos e pesquisadores da Empaer no serviço prestado ao produtor, conferindo as condições da sua propriedade e indicadores das cadeias produtivas, com número de áreas, quantos hectares estão sendo cultivado, método de trabalho, produção por município, número de produtores e famílias, acesso às linhas de crédito, adequação ambiental, melhoria produtiva, rentabilidade e mais.

“Teremos informações precisas e um mapeamento geral da agricultura familiar no Estado. Acredito que até o final de 2020 esses dados estarão a disposição da população”, enfatiza.

Será possível fazer um diagnóstico integrado e mais preciso da área do produtor e da atuação do técnico da Empaer junto às propriedades atendidas.

Os técnicos em Agropecuária da Empaer, Eder José Barreiros e Tarcisio Cuchi, do município de Paranaíta, começaram a utilizar o sistema no mês de junho e já cadastraram 354 produtores rurais. Eder fala que a nova ferramenta é bem simples e veio para ajudar no serviço de assistência técnica e extensão rural, e tudo o que for recomendado para o produtor. O município faz parte do escritório Regional de Alta Floresta, onde os técnicos já prestaram atendimento a 1.087 produtores rurais.

Conforme Barreiros, outra opção que o sistema proporciona é a localização da propriedade rural, com as coordenadas corretas, sendo possível checar onde estão sendo aplicadas técnicas para melhoria da área. Durante o atendimento são verificadas quais culturas são cultivadas, o que foi recomendado e a data do atendimento. Facilita também para o produtor, que recebe uma cópia para conferir o que foi sugerido.

“Esperamos produzir relatórios com números que demonstrem o desenvolvimento da região e do agricultor familiar”, salienta.

Silva comenta que será possível, com a ferramenta, fazer um diagnóstico integrado e mais preciso da área do produtor e da atuação do técnico da Empaer junto às propriedades atendidas. Paralelamente ao sistema que está em operação, será desenvolvido um aplicativo para atender o produtor rural de forma mais interativa e eficiente. Ele calcula que até o final deste ano, a equipe de Tecnologia da Informação da empresa estará elaborando a nova ferramenta.  

Para operacionalização do sistema, os técnicos estão recebendo capacitação para utilização da ferramenta. Os primeiros habilitados foram os técnicos da região do Vale do Rio Cuiabá, em seguida Juína e Alta Floresta. Ainda este ano serão realizadas mais seis capacitações nos municípios de Sinop, Barra do Garças, Barra do Bugres, Rondonópolis, São Félix do Araguaia e Cáceres.

“Levamos mais de um ano para elaboração e finalização do sistema, e a finalidade do trabalho que será executado no campo é a transparência da informação para os produtores e a sociedade em geral”, finaliza o técnico.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Agronegócio (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial