Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Turismo

Revitalização do Mirante em Chapada empaca e governo aguarda audiência pública

 |
Divulgação / Reprodução

A revitalização do Mirante, localizado no município de Chapada dos Guimarães (64 quilômetros de Cuiabá) empacou. Segundo o governo do Estado, está sendo aguardada uma audiência pública para definir o que será feito no local. Porém, esta já foi remarcada duas vezes e uma previsão ainda não existe para a sequência dos trâmites.

“Estamos aguardando esta questão. Foi marcada duas vezes a audiência pública, mas não teve. Preciso esperar o pessoal do meio ambiente confirmar. Não tivemos mais notícias e não recebi retorno até hoje. Sem isto, não tem como dar prosseguimento a nada”, explicou o secretário de Turismo, Jaime Okamura.
 
Segundo o secretário, é preciso verificar como ficou a questão da desapropriação do local: “Aquele monte de coisas [projetos] que fizeram, nenhum passou ainda. Não tem estudo de impacto, nada. A partir do momento que tiver a audiência pública, define”.
 
Existe, dentro desta audiência pública, a proposta de que o mirante torne-se uma Área de Proteção Ambiental (APA).
 
O problema das erosões é grave no Mirante. Em março deste ano, a reportagem do Olhar Direto esteve no local e constatou que as crateras têm aumentado significativamente. A entrada ao local foi dificultada, mas o acesso continua fácil para as pessoas que pretendem desfrutar da estupenda vista proporcionada.
 
De acordo com o decreto a área a ser desapropriada tem uma extensão de 368.634,060 m². A ação tem como objetivo a promoção e o incentivo ao turismo. Agora o Governo do Estado deve realizar obras no local, para deixá-lo apropriado à visitação turística e também para a exploração comercial.
 
Agora cabe ao Instituto de Terras de Mato Grosso avaliar o valor da indenização ao antigo proprietário. A assessoria da Secretaria Adjunta de Turismo, ligada à Sedec afirmou que o projeto para o Mirante já está pronto, sendo necessária a Licença Ambiental da Secretaria Ambiental de Meio Ambiente (Sema). A assessoria também disse que o projeto prevê toda a recuperação da área degradada.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Turismo (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial