Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Polícia

Em Mato Grosso, 1.564 pessoas desapareceram entre janeiro e dezembro de 2020

Na foto: A jovem Gabriela Karoline Guimarães Almeida, de 18 anos, está desaparecida há cinco meses

 |
Divulgação / Reprodução

Mato Grosso registrou o desparecimento de 1.564 pessoas entre janeiro e novembro de 2020, o que representou cerca de 4 casos por dia. Mesmo assim, ocorrências dessa natureza apresentaram a menor incidência dos últimos 4 anos na Grande Cuiabá, no período. Porém, há casos que seguem desafiando o setor de investigação da Polícia Civil, a exemplo do da jovem Mariane Cristina de Almeida, 27, que está desaparecida desde agosto de 2016. Núcleo de Desaparecidos da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) frisa que 97% dos casos são solucionados. 

Dentre os maiores motivos para o desaparecimento estão o desentendimento familiar, o envolvimento com prática de crimes e até mesmo a morte. A maioria das vítimas tem menos de 17 anos de idade. 

A jovem Gabriela Karoline Guimarães Almeida, de 18 anos, está desaparecida há cinco meses.  Ela estava em Campo Verde a última vez que ela fez contato com a família, no dia 17 de agosto de 2020. Caso alguma pessoa saiba onde ela está deverá entrar em contato através dos telefones (66) 99916-2886 (Kelly) ou 99915-4882 (Paulo).

Titular do Núcleo de Desaparecidos da DHPP de Cuiabá, André Renato Gonçalves, explica que, de modo geral, em Cuiabá e Várzea Grande, a maioria das ocorrências é de pessoas que saem de casa após desavença familiar. Em segundo lugar está o desaparecimento devido ao envolvimento com crimes. “A família acha que o ente está desaparecido, mas, na verdade, ele saiu de casa para praticar algum crime. Posteriormente, ou ele aparece espontaneamente ou acaba preso e ainda morto”. 

Como exemplo do que o Gonçalves falou anteriormente pode-se citar o caso de duas adolescentes que foram apreendidas na última quarta-feira (16), por envolvimento em roubo a comércio em Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá). As meninas, de 13 e 16 anos, estavam com registro de desaparecimento feito pelos familiares no início de 2021. Os investigadores apuraram que elas estavam na residência por vontade própria, inclusive participaram das ações criminosas.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Polícia (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial