Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Polícia

Adolescente que matou líder do PCdoB é apreendido após tentar fugir da polícia em Jaciara

 |
Divulgação / Reprodução

Após perseguição de carro e tentativa de fuga, o adolescente identificado pelas iniciais G.A.F.S., de 17 anos, foi apreendido no fim da tarde de ontem (21), no bairro Luiz Martelli, em Jaciara (a 146 km de Cuiabá). O menor é apontado como o autor do homícidio qualificado do ativista e presidente do PCdoB do município, Afonso João Silva, morto a tiros no assentamento União da Vitória em fevereiro deste ano. O infrator estava com três porções grandes de maconha e foi detido ainda na cidade.

Em fevereiro, Afonso foi encontrado morto, alvejado por disparos de arma de fogo, no dia seguinte ao assassinato. Na noite do dia anterior, moradores ouviram disparos por volta das 20h. Mas, como caçar na região é corriqueiro, não deram a devida importância ao barulho.

No sábado, segundo o 4º Comando Regional, uma equipe da PM estava em patrulhas, pela avenida Pajé, quando viu o adolescente em um Volkswagen Gol branco em atividade suspeita. Os policiais deram ordem parada. Mas ele se negou e saiu em alta velocidade pela via.

Com apoio de reforços, a perseguição durou cerca de 20 minutos. O adolescente trafegava em alta velocidade pelo bairro Santo Antônio e, no final da região, jogou a maconha para fora do carro. Ele saiu em uma avenida e quase atropelou pedestres que caminhavam pela via.

A PM tentou ultrapassar o carro dirigido pelo adolescente, mas ele jogou o veículo contra a viatura. Os policiais resolveram, então, atirar nos pneus. Em uma das ruas do bairro Luiz Martelli, o menor suspeito perdeu o controle do carro e bateu na viatura policial e no muro de uma casa.

O adolescente saiu do carro e fugiu a pé, pulando o muro de várias casas. A PM fez o cerco no quarteirão e conseguiu deter o suspeito. Após apreendê-lo, descobriu-se que ele tinha um mandado de busca e apreensão pelo homicídio qualificado de Afonso, o presidente do PCdoB de Jaciara.

Ele foi entregue a uma equipe da Polícia Civil, que ficou de entregá-lo à Justiça e investigar o caso.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Polícia (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial