Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Polícia

Irmãos do CV são alvejados e familiares fazem confusão na UPA por atendimento

 |
Divulgação / Reprodução

Após um confronto interno entre membros do Comando Vermelho, os irmãos Thiago Magalhães Ferreira, de 26 anos, e David Magalhães Ferreira, 23, foram executados, na noite desta quinta (18), no bairro Pedra 90, em Cuiabá. Os rapazes foram socorridos por familiares e levados em estado grave para UPA do Pascoal Ramos, e na ansiedade pelo atendimento dos familiares coagiram servidores e médicos. Foi necessário forças militares para contê-los. O atendimento a outros pacientes foi paralisado por algumas horas. 

David e Thiago foram atingidos por no mínimo três tiros cada um. Não resistiram aos ferimentos e morreram horas depois de darem entrada na UPA. Após a notícia, familiares ainda muito exaltados fizeram ameaças contra policiais e jornalistas.

O irmão das vítimas, Emerson Magalhães Ferreira e mais outro familiar que não teve o nome divulgado, foram detidos por desacato, resistência e ameaça e levados à Central de Flagrantes. 

De acordo com o boletim de ocorrência, a PM foi informada via Ciosp que o David tinha sido alvejado em frente à Escola Gastão Muller e foi encaminhado à Policlínica do Pedra 90. Durante o deslocamento, chegou a informação sobre Thiago, levado para UPA Sul, no Pascoal Ramos. Tendo em vista a gravidade dos ferimentos, David foi levado para UPA Pascoal Ramos e foi neste momento que a confusão começou.

Sobre o homicídio, a mãe das vítimas não soube relatar o ocorrido. Vários populares e familiares relataram que os diparos contra os irmãos saíram de um carro Honda Civic preto em que estavam quatro homens. Após isso o mesmo veículo foi visto por testemunhas rondando a UPA. Foi necessário acionar reforço para conter toda a situação.

Os irmãos mortos tinham passagens criminais. David foi preso na semana passado por roubo no bairro Jardim Industrial e saiu em audiência de custódia. Já Thiago é fichado por tráfico e roubo.

As investigações seguem na  Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Polícia (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial