Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Polícia

Em três meses, três morrem e 26 pessoas são vítimas de homofobia

Homossexualidade deixou de ser considerada doença há 29 anos, mas preconceito e violência ainda persistem.

 |
Divulgação / Reprodução

Mato Grosso registrou 26 casos de crimes de homofobia e três homicídios no período de janeiro a março deste ano. Já nos 12 meses de 2018, foram 22 mortes e 116 registros de crime de homofobia. Os dados são do Grupo Estadual de Combate aos Crimes de Homofobia (GECCH), da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

Nesta sexta-feira (17.05) é celebrado o Dia Internacional Contra a Homofobia, criado para homenagear a data em que o termo homossexualidade foi retirado da Classificação Estatística Internacional de Doenças (CID).

O Dia Contra a Homofobia tem como objetivo conscientizar a população sobe a luta travada contra a discriminação e vários tipos de preconceitos contra as diferentes orientações sexuais e identidade de gênero. A homofobia consiste no ódio, rejeição e preconceito a Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, transexuais ou Transgêneros (LGBT).

Por meio do GECCH, profissionais da Polícia Militar (PM-MT), Polícia Judiciária Civil (PJC-MT), Corpo de Bombeiros Militar (CBM-MT), Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e Departamento Estadual de Trânsito (Detran) participam regularmente de cursos para atendimento à população LGBT. No primeiro trimestre de 2019, 428 profissionais foram capacitados. Já em 2018, o montante foi de 870 participantes.

O trabalho do grupo dentro da Sesp é preponderante para dar visibilidade a este tipo de criminalidade. “Estamos capacitando e treinando o corpo técnico para saber lidar com esse crime de homofobia. Já capacitamos quase a metade do que foi feito no ano passado e devemos chegar a 1,2 mil profissionais capacitados. A adaptação do boletim de ocorrência com nome social ficou mais fácil para identificar os crimes de homofobia”, destaca o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Ele frisa que a relação de convivência das pessoas na sociedade precisa melhorar para que todos se respeitem, independentemente de cor, sexo, religião e orientação sexual. “Se conseguirmos essa harmonia, a nossa sociedade pode evoluir”.

Sobre o GECCH

O Grupo Estadual de Combate aos Crimes de Homofobia foi criado pelo Decreto nº 547/2016, com o objetivo de planejar, definir, coordenar, implementar, acompanhar, avaliar e fiscalizar a Política Estadual de Enfrentamento e Combate aos Crimes de Homofobia no âmbito da segurança pública.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Polícia (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial