Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Mato Grosso

Desfile de crianças e jovens de MT prontos para adoção causa mal-estar e críticas

 |
Divulgação / Reprodução

Está provocando mal-estar, polêmica e até repercussão nacional o desfile realizado em Cuiabá, na noite desta terça (21), no Pantanal Shopping, expondo crianças e adolescentes, de 4 a 17 anos, que estão aptos à adoção.

O desfile, que chama “Adoção na Passarela”, faz parte da Semana da Adoção e tem o objetivo, conforme os organizadores do evento, de facilitar o acesso de pretensos pais aos que estão tutelados pelo Estado em abrigos.

As críticas apontam que, desta maneira, estão tratados como "gado à venda” ou modelo publicitário, e que a escolha, neste caso, seria feita com base no biotipo e não um elo de afeto real, semelhante a quando se escolhe um objeto.

O jornalista Paulo Henrique Amorim, no site Conversa Afiada, rechaçouo: “Quando se pensa que o Brasil é capaz de tudo, aparece uma inovação alucinada: uma passarela para que crianças de 4 a 17 anos desfilem diante de futuros pais como se fossem modelos! Seguramente, a ideia deriva da SP Fashion Week, com a coreografia e o know-how da cultura do espetáculo com que a Globo contaminou o Brasil”.

O ex-presidenciável Guilherme Boulos (Psol) usou o Twitter para informar sobre o que considera uma "perversidade".

Um advogado de renome em Cuiabá, Eduardo Mahon, não gostou da iniciativa e criticou no Facebook. “Olha, gente, sem querer ser chato, mas já sendo. Antes de tudo, devo dizer que a Ampara é uma instituição muito séria. Devo, entretanto, pedir mil desculpas a quem pensa diferente e à Ampara, mas as crianças na passarela para pretendentes ver o quão bonitas, simpáticas e desenvoltas são, parece-me uma antiga feira de escravos, onde os senhores viam os dentes e o corpo dos africanos para negociar o lance. Não acho legal, aliás, acho péssimo. Não porque seja um desses conservadores que quer esconder, apagar, fingir que não existe rejeição social etc. já estive nessa lista, fiz visitas e sei bem que essas crianças precisam de visibilidade, exposição positiva, ressignificação de lugar e autoestima, mas não assim. Não em uma passarela, não em um shopping, não para o público aberto."

Também no Facebook, um professor universitário criticou. "E esse evento, onde crianças, que estão esperando pais adotivos, são expostas feito gado? Esse país perdeu completamente o bom senso. ISSO É ERRADO", opina.

Outros demonstram preocupação com o estado emocional dos "modelos", saindo de lá da mesma forma que entraram, ou seja, abrigados.

Este é o segundo ano que a Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (Ampara) realiza o desfile, em parceria com a Comissão de Infância e Juventude (CIJ) da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-МT).

A Ampara faz um trabalho paralelo ao Poder Judiciário, ministra cursos para pais adotantes e se dispõe a apoiar quem opta por adotar uma criança.

O RD News falou com Ana Regina, da Ampara, sobre a repercussão negativa. Ela disse que viu as críticas ao desfile, mas assegura que, apesar das posições contrárias ao evento, as pessoas que foram conseguiram entender a proposta e ver a realidade das crianças que, uma vez rejeitadas por pais biológicos e familiares, esperam ansiosamente por um lar.

“A gente viu alguns comentários meio sem noção antes do evento e de pessoas que nem conhecem a causa. Mas graças a Deus, tivemos retorno muito positivo do evento. Foram comentários de pessoas que sequer conheciam a primeira edição”, disse.

A polêmica gerou uma petição on line contra o desfile. Veja aqui.

Organizadores

A reportagem tentou falar com outras referências da Ampara, mas, até o fechamento desta matéria, estavam ocupadas com a organização da Semana que traz extensa programação.

Além do desfile, hoje (22), haverá solenidade de premiação do IX Concurso de Redação do Plenário 1 do Tribunal de Justiça (TJMT). No dia 23, a população poderá acompanhar a palestra sobre “Adoção: da concepção à convivência familiar", no auditório da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), das 7h30 às 12h. Para finalizar, na sexta (25), será promovida a Caminhada da Adoção, no Parque das Águas, a partir das 17h.

Entre os parceiros estão: Governo de Mato Grosso, Tribunal de Justiça (TJMT), OAB Mato Grosso (OAB/MT), Ministério Público do Estado (MPMT), Conselhos Municipal e Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA/Cedca-MT), UFMT, Coral Canto e Encanto, Sindicato dos Oficiais de Justiça e Avaliadores (Sindojus/MT), Associação de Grupos de Apoio à Adoção (Angaad), as empresas Tube, CVC e Pantanal Shopping.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Mato Grosso (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial