Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Mato Grosso

A cada R$ 100 arrecadados, Governo destina R$ 75 para folha de pagamento

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, apresentou na Assembleia Legislativa e no Tribunal de Contas do Estado (TCE) os números relativos ao cenário atual e dos últimos 15 anos.

 |
Divulgação / Reprodução

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, apresentou nesta quarta-feira (10.04) na Assembleia Legislativa e no Tribunal de Contas do Estado (TCE) os números relativos ao cenário atual e dos últimos 15 anos, que desencadearam no desequilíbrio financeiro pelo qual o Estado passa em 2019, exemplificando que a administração estadual destina R$ 75 para a folha de pagamento, a cada R$ 100 arrecadados.

As informações passadas pelo chefe do Executivo estadual são referentes à evolução da receita corrente líquida, da arrecadação, dos gastos com folha de pagamento e das despesas totais do Estado, demonstrando um crescimento muito forte da arrecadação, com índice positivo de 342%, mas, em contrapartida, com aumento de 678% da folha total de todos os Poderes.

“Hoje, de cada R$ 100 que se arrecada em Mato Grosso, R$ 75 são destinados à quitação da folha de pagamento de todos os Poderes, o que tira do Estado a capacidade de prestar um serviço minimamente digno. Temos que inverter esse quadro, aumentando a arrecadação de forma a termos mais dinheiro para investir no que importa ao cidadão, para que as coisas mudem nesse Estado”, pontuou Mendes.

O presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, afirmou que o Legislativo continuará apoiando as decisões da administração estadual, no que se refere a projetos que busquem a regularização fiscal e econômica de Mato Grosso.

“O Governo está mostrando, de forma transparente, a situação em que se encontra. Temos uma perspectiva muito boa e o governador pode continuar contando com todo o apoio da Assembleia, na aprovação de projetos, que foram decisões acertadas”, disse Botelho.

Já o vice-presidente do TCE, Luiz Henrique Lima, também pontuou a respeito da contribuição que o órgão de controle pode oferecer na busca do equilíbrio financeiro de Mato Grosso.

“Nosso esforço será não apenas o de cumprir com nosso papel fiscalizador, mas também recomendando medidas que possam contribuir para a melhoria da arrecadação, redução de eventuais desperdícios, aprimoramento de legislações, melhoria de políticas públicas e de alocação de recursos, além da eficiência dos gastos”, destacou o conselheiro.

O presidente do TCE, Domingos Neto, considerou a apresentação como “incisiva”, uma vez que mostrou a avaliação fiscal dos últimos 15 anos, aproximando o Conselho de Contas da realidade fiscal do Estado.

“Colocamos nossa equipe técnica, auditores e Conselho de Contas à disposição para melhorar a relação com o Governo e buscar a melhoria do interesse público nas causas sociais”, esclareceu.

Mauro Mendes encerrou a explanação afirmando acreditar que com a pulverização das informações, os Poderes poderão trabalhar em sintonia para encontrar soluções simples e necessárias para o reequilíbrio fiscal de Mato Grosso.

“A partir de agora, acredito que todos poderemos contribuir para ajudar Mato Grosso. Tudo isso para que não aconteça o que está acontecendo em vários Estados, que têm quatro folhas de salário em atraso e uma péssima prestação de serviço ao cidadão”, concluiu o governador.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Mato Grosso (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial