Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Beleza e Saúde

MPF investiga falta de Coronavac em 31 municípios de MT

 |
Divulgação / Reprodução

O Ministério Público Federal (MPF) investiga falta de Coronavac para segunda dose em 31 municípios de Mato Grosso. A portaria que trata da apuração é do dia 13 de junho e foi publicada no Diário Oficial do órgão nesta terça-feira (13).
A investigação é conduzida pelo procurador da República, Everton Pereira Aguiar Araújo.

Com amparo em denúncias feitas ao MPF, o procurador determinou a instauração do inquérito “com o seguinte objeto: 1ª CCR. SAÚDE. COVID. Apurar notícia de ausência de imunizantes suficientes para a aplicação da segunda dose da Coronavac em municípios situados na área de atribuição da PRM Barra do Garças-MT”, diz trecho do documento.

Fazem parte da Procuradora da República dos Municípios (PRM) de Barra do Garças a cidades de: Água Boa, Alto Boa Vista, Araguaiana, Barra do Garças, Bom Jesus do Araguaia, Campinápolis, Canabrava do Norte, Canarana, Cocalinho, Confresa, General Carneiro, Luciara, Nova Nazaré, Nova Xavantina, Novo Santo Antônio, Novo São Joaquim, Pontal do Araguaia, Ponte Branca, Porto Alegre do Norte, Querência, Ribeirão Cascalheira, Ribeirãozinho, Santa Cruz do Xingu, Santa Terezinha, Santo Antônio do Leste, São Félix do Araguaia, São José do Xingu, Serra Nova Dourada, Tesouro, Torixoréu e Vila Rica.

Em maio, vários polos de vacinação em Cuiabá e outras cidades suspenderam a aplicação da segunda dose de Coronavac por falta do imunizante. Sem insumos, o Instituto Butantan havia parado a produção, que ficou assim por vários dias até o recebimento de matéria prima da China.

A produção só foi retomada em 27 de maio e nova remessa entregue ao governo Federal em 18 de junho, sendo suspensa novamente por falta de material. No dia 26 de junho, uma nova carga de 6 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) foi recebida e fabricação retomada.

Outro lado
A Secretaria de Estado de Saúde, que distribui vacinas aos municípios, foi procurada e informou que ainda não foi notificada na investigação.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Beleza e Saúde (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial