Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Política

Deputados aprovam em primeira votação lei que pune com multa a não utilização de máscara

 |
Divulgação / Reprodução

O Projeto de Lei encaminhado pelo Governo que dispõe sobre o uso de máscaras como medida não farmacológica para evitar a disseminação do novo coronavírus (COVID-19) no âmbito do Estado de Mato Grosso sofreu um verdadeiro bombardeio por parte de alguns deputados contrários à ideia do governador em multar o cidadão em R$ 140, mas o texto acabou sendo aprovado em primeira votação com 17 votos a favor e sete contras. 

Após o debate, de quase duas horas, em primeiro momento, a pauta acabou sendo retirada de votação, mas em poucos minutos ela voltou à Mesa Diretora, com alguns substitutivos e acabou sendo aprovada em primeira votação. 

Agora, o projeto, que chegou ao Parlamento para ser votada em caráter de "urgência urgentíssima", vai à apreciação da Comissão de Constituição de Justiça e Redação (CCJR) para voltar ao plenário para apreciação final na próxima quarta-feira (22). Vale ressaltar, que após voltar da CCJR, o PL deve sofrer algumas modificações e voltar ao parlamento para votação final. 

O substitutivo apresentado pelo deputado Lúdio Cabral (PT) foi aprovado pela Comissão de Saúde e pede que o cidadão não seja multado e sim o comerciante que deixar algum cliente entrar em seu estabelecimento sem o equipamento de proteção. Além do comerciante, o chefe do executivo municipal também seria multado. Vale lembrar, que segundo o substitutivo, todo dinheiro arrecadado proveniente da multa, será destinado direto à conta única do estado para gastos com a Saúde. 

Além disso, Lúdio altera a lei e coloca obrigatoriedade do Governo distribuir máscaras e os estabelecimentos de terem alcool em gel. Apenas a multa ao comerciante não foi tão bem recebida pelos pares do petista. 

Os deputados Elizeu Nascimento (DC), Paulo Araújo (Progressistas), Xuxu Dal Molin (PSC) e Silvio Fávaro (PSL) foram contra multar o comerciante. 'Estamos num período de pandemia, comerciante com seu mercado fechado e vocês querem multar o comerciante? É por isso que o Brasil não vai pra frente!" disse Favero, que foi apoiado por Nascimento, Araújo e Xuxu.

Elizeu rebateu essa exigência de Lúdio. "Tem gente que não tem sequer uma tira de pano para fazer máscara. Tem comerciante que tá passando fome porque o mercadinho tá fechado e agora vamos multar? O Governo primeiro tinha que distribuir o material para a população para depois apresentar projeto. Não é viável essa aplicação de multa, eu sou contra esse projeto, já divulguei, já me posicionei contrário e agora vamos multar?", questiona o democrata cristão. 

Por conta desso debate, o líder do Governo na AL, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM) pediu que o projeto  fosse retirado de pauta. Porque um novo projeto seria elaborado para quem nem o comerciante e nem a pessoa pública fosse multada. Mas passados alguns minutos, Dilmar voltou ao plenário e pediu que o substitutivo de Lúdio fosse votado.  

"É necessário que se vote hoje. É necessário que a Comissão e todo plenário seja prudente. Não é hora de multar o cidadão, mas precisamos seguir ordens do Ministério da Saúde e Organização Mundial de Saúde. Quem inflingir a regra, a lei, terá que pagar. Acredito que se não houver uma possível punição, o povo não vai se conscientizar integralmente", pediu Dilmar. 

Dilmar, ainda explicou que é necessário uma exigência para o uso de máscara. Porém, não haverá nenhuma indicação de multa para o cidadão. "A lei não fala em punição do trabalhador, da pessoa física. Mas sim, do comércio. Para ter um entendimento de abertura do comércio, é necessário que o comércio se previna, pois ao invés de ter loja aberta e ter aglomeração, o comerciante terá que ter ao menos um anúncio que é proíbido que alguém sem máscara esteja naquela estabelecimento. Tudo que estamos fazendo é para evitar a ploriferação da pandemia", concluiu. 

O delegado deputado Delegado Claudinei (PSL) também se disse contra o projeto. "É injusto atribuir multa ao empresário e a população. O poder público tem que investir em publicidade que é necessário que a população use máscara. Mas punir não. Não é hora de multar ninguém", disse o deputado. 

Eduardo Botelho disse que Dilmar deve buscar um consenso dos deputados para que o projeto seja o melhor para a população. "Estamos aqui para fazer isso. Arrumar projetos bons para a sociedade. É necessário que o Dilmar, presidente da CCJR, faça um ótimo trabalho com esse projeto. Toda sociedade precisa ser beneficiada", comentou. 



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Política (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial