Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Política

MP pede cassação de vereador por criar folhetim informativo para se autopromover

O caso aconteceu na cidade de Sorriso em 2019. Vereador Mauricio Gomes diz que informativo era prestação de contas.

 |
Divulgação / Reprodução

O vereador Maurício Gomes (PSD) foi denunciado por criar um folhetim para se autopromover em Sorriso (420 km de Cuiabá). De acordo com a Polícia Civil e Ministério Público Eleitoral (MP Eleitoral), a prática se caracterizou no crime de propaganda eleitoral antecipada.

Após investigação do órgão fiscalizador, por meio da 43ª Zona Eleitoral de Sorriso e da Polícia Civil da cidade, o vereador foi indiciado e o processo encaminhado para a Justiça Eleitoral. O caso está disponível para análise da Justiça desde o final de dezembro de 2019.

A denúncia aponta que o vereador criou um boletim informativo “realçando suas qualidades” e divulgou pela cidade. O material apontava ações nos anos de 2017, 2018 e 2019 – como projetos, requerimentos, além de várias fotos de obras.

Os folhetos chegaram ao MP, que caracterizou como propaganda eleitoral extemporânea – o que é crime.

A investigação foi instaurada também pela Polícia Civil, coordenada pelo delegado Nilson Farias.

No decorrer das investigações, o vereador foi intimado a prestar depoimento na delegacia da cidade em 18 de novembro. Na ocasião, negou que estava fazendo propaganda extemporânea.

“Reponde que o informativo por ele distribuído não trata-se de material de campanha eleitoral, nem autopromoção; Que o Informativo foi pago com recursos próprios e que tem nota fiscal. Que o informativo foi feito para prestar contas de seu trabalho legislativo na ano de 2019, para prestar transparência de sua atuação como vereador”, consta no depoimento do vereador à Polícia Civil.

Posteriormente o acusado ainda encaminhou uma nota fiscal que seria da compra dos folhetos. Mesmo assim o delegado indiciou o vereador e encaminhou o caso ao MP.

O MP, por sua vez, ofereceu denúncia à Justiça Eleitoral em 17 de dezembro. A promotora Maisa Fidelis Gonçalves Pyrâmides apontou o cometimento dos crimes.

“Segundo restou apurado, o increpado distribuiu à população informnativo a fim de exaltar suas qualidades pessoais e como vereador desta comarca. Desta forma, ressalta-se que o denunciado sob pretezto de informar a sociedade, realizou propaganda eleitoral antecipada, exaltando seus feitos como vereador”, apontou a promotora ao oferecer a denúncia.

 O caso será analisado pela Justiça.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Política (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial