Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Política

Botelho dispara contra Max Russi: "canalhice; ele não é confiável"

 | Ronaldo Mazza
Ronaldo Mazza

O presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM),  classificou de “canalhice” a articulação feita pelo primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, Max Russi (PSB), que culminou com a rejeição da indicação de Emerson Almeida de Souza, à diretoria Agência de Regulação dos Serviços Delegados (Ager-MT).

O placar foi de 12 votos pela reprovação e apenas oito pela aceitação do nome indicado pelo governador Mauro Mendes (DEM).

"O termo canalhice foi para Max que eu falei, foi pra ele mesmo. Porque foi ele que fez o trabalho de articulação, junto com alguns, para derrubar [rejeitar o nome de Emerson Almeida]", admitiu Botelho, visivelmente irritado em entrevista ao HNT/HiperNotícias.

“Eu fiquei bravo, porque os caras aprovaram na Comissão e eu fiz uma reunião antes. Tinham 12 votos [pela aprovação] e chegou na hora da votação, foram 8.  Então falei, que palhaçada é essa?”, lembrou o presidente da Casa de Leis.

Botelho apontou também, que o nome de Emerson Almeida, de fato, enfrentava resistência, devido a algumas restrições junto ao Ministério Público Estadual (MPMT).

“Eu votei pela aprovação do nome dele. É funcionário de carreira, concursado, acho que ele é qualificado. Tem restrições, mas não há nada provado contra ele. O que eu não gostei foi da articulação feita pelo Max, pois havia inicialmente apenas cinco que rejeitavam”, emendou Botelho. 

“Não foi uma derrota minha, nem do governo. Foi uma derrota momentânea. Não é indicação minha e  sim do governo que, agora, vai ter que indicar outro nome”, salientou.

Questionado pela reportagem, se essa indisposição prejudica a harmonia interna entre, principalmente, ele e Russi, o presidente da Assembleia foi taxativo: “Não existe isso. É muito interesse e ele tem os interesses dele, né?”. O democrata ponderou que realmente alguns parlamentares votaram pela rejeição, pelo fato de Emerson Almeida possuir as tais restrições. “O Lúdio [Cabral] e o Wilson [Santos], por exemplo, votaram contra, por isso”, emendou, enfatizando que ”tinham uns quatro ou cinco lá  que já tinham falado que não iam votar pela aprovação, ou seja, iam ser só cinco pela reprovação, se ele [Max] não articulasse”. 

“Fui avisado”

A rejeição do nome  de Emerson Almeida, para o deputado Botelho, não vai alterar muito coisa no relacionamento com Russi, mas “altera sim, a confiança em relação a Max Russi, isso sim”.

“ Para mim ele é um cara inconfiável, doravante. Mas isso é um problema meu e dele. Ele não é confiável, e a gente já sabia disso, desde quando eu fui indicar ele pra ser primeiro-secretário, teve muita rejeição em relação ao nome dele e eu fui um dos caras que briguei, defendi ele, mas agora realmente estou vendo que ele não é confiável”, desabafou.

Outro lado

Na sessão ordinária da noite desta quarta-feira (14), após ver a irritação de Botelho e ouvir o termo “canalhice” direcionado a ele, o deputado Max Russi, saiu do plenário sem falar nada.

Procurado pela reportagem do HNT/HiperNotícias, Russi  afirmou que “ele foi infeliz naquela fala dele” e que não articulou nada.

O socialista também argumentou que não jogou sujo, tanto que já havia adiantado a Botelho que não votaria pela aprovação do nome de Emerson Almeida.

“Foi um sabatina ruim, o que reprovou o nome dele foi o fato de ele estar na delação do Silval e aí, os deputados novos e eu entendemos que não devíamos aprovar”, explicou Russi, emendando que “ eu não sou canalha, pois canalha é quem diz que vai fazer uma coisa e faz outro totalmente ao contrário e eu não faço política assim”.

Sobre a fala de Botelho de que ele, Max, não é confiável, Russi minimizou dizendo que “ se  ele falou isso, eu tenho que respeitar, ele sabia do meu voto da minha posição”.

Max lembrou que antes da sessão ordinária desta quarta e da votação secreta, “ele [Botelho] pediu pra mim não pedir vistas, eu não pedi. Ele pediu, dizendo assim: perdeu, perdeu e eu concordei, dizendo perdeu, perdeu, belém, belém, portanto, eu não fiz nada pelas costas e não gosto desse jogo, inclusive, ás vezes eu erro, por ser muito sincero nas minhas posições”.

Russi nega, com veemência que tenha articulado a votação e a rejeição do nome de Emerson Almeida, mas “ o Botelho falou isso de mim, porque fui nele e disse: não vou votar [pela aprovação] e ele acha que fui eu que articulei isso aí. É questão de entendimento. O meu relacionamento com ele é o mesmo e a amizade é a mesma,  gosto dele”.

Só um aprovado

Apesar da rejeição ao nome de Almeida, o outro indicado pelo governador para ocupar cargo de direção na Ager, José Rodrigues Rocha Júnior teve o nome convalidado por 17 doas 21 deputados presentes nessa votação secreta. Os emedebistas Romoaldo Junior, Janaina Riva e Thiago Silva faltaram à sessão noturna dessa quarta-feira.

O advogado José Rodrigues Rocha deve ser nomeado nos próximos dias. Ele vai assumir  o cargo de diretor-regulador de Ouvidoria da Ager.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Política (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial