Temperatura do dia: Em - MT
ºC |
PUBLICIDADE

Política

Rosa Neide fica sozinha contra a reforma da Previdência

Dr. Leonardo e Juarez Costa roeram a corda e Carlos Bezerra ainda está em cima do moro

 |
Divulgação / Reprodução

Professora Rosa Neide (PT) ficou isolada entre os oito deputados federais da bancada de Mato Grosso. Ela é a única que está posicionada contra a aprovação da reforma da Previdência, que está na pauta do Plenário da Câmara. Os outros dois parlamentares que antes acenaram também votar contra roeram a corda e seguirá o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), aprovado semana passada na comissão especial.

Os dois deputados mato-grossense que mudaram de lado são o Dr. Leonardo (SDD) e Juarez Costa (MDB). Até o mês passado, a dupla havia declarado ser totalmente contra a reforma. Dr. Leonardo chegou a conceder uma longa entrevista ao emanuelzinho refutado-a. Agora ele alega que o relatório de Moreira contemplou suas ponderações anteriores. Em parte, como o leitor poderá assistir o vídeo que reproduzimos ao final desta matéria.

“Desde que a PEC da Previdência chegou na Câmara, critiquei a proposta do governo na aposentadoria de pequenos produtores e trabalhadores rurais, no pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC), na capitalização (poupança individual) e, também, em relação à aposentadoria especial das professoras. Esses pontos foram solucionados na Comissão Especial e vão ao encontro da nossa luta. Agora, seguimos firmes trabalhando e acompanhando tudo no Plenário”, afirmou Dr. Leonardo, em material distribuído por sua assessoria. 

Quanto a Carlos Bezerra (MDB), não se sabia de seu posicionamento oficial porque ele permaneceu quatro meses de licença e em seu lugar ficou o suplente Valtenir Pereira, igualmente do MDB, que sempre teve posições muito dúbias em relação a questões polêmicas. Bezerra segue pela mesma linha. Conforme sua assessoria, ele está analisando que posição tomar, “mas que estará contra o que julgar prejudicial aos trabalhadores”.

Assim, resta apenas a petista, sendo que os demais deputados federais mato-grossenses já fecharam com a proposta contida no relatório final da comissão especial, com divergências pontuais. Até o fechamento deste texto a votação da reforma da Previdência ainda não havia sido iniciada.

Para que a votação acontecesse ainda nesta terça-feira (9), o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), havia proposto um acordo durante a reunião de líderes pela manhã, mas os partidos de oposição rejeitaram e anunciaram, à tarde, que entrariam em processo de obstrução da votação.

A obstrução de uma votação é um conjunto de recursos previstos no embate político no Parlamento, quando bancadas, partidos e blocos partidários contrários a determinada matéria tentam ganhar tempo para ampliar o tempo sobre o tema, adiando a votação com um conjunto de procedimentos que incluem ainda tentativa de retirar a matéria de pauta. Para isto vale ampliar o número de inscritos contrários nos pronunciamentos, retirar-se do plenário para não possibilitar quórum ou simplesmente anunciar que está em obstrução, neste caso não valendo a contabilidade dos contrários, mesmo em plenário, para efeito de quórum.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Política (últimos 30 dias)

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial