Temperatura do dia: Em Jaciara - MT
31 ºC | Parcialmente nublado
PUBLICIDADE

Polícia

Polícia Civil de Jaciara prende mandante e executores de Jakielly Pontes

No centro da fotografia o mandante Tiago, a sua direita o executor João Vitor e a esquerda o piloto da moto

 |
Divulgação / Reprodução

Nesta quarta-feira (19), a Polícia Civil de Jaciara, sob o comando do delegado João Paulo Praisner, concluiu o inquérito do assassinato de Jakielly Pontes da Silva, de 25 anos. O mandante do crime, Tiago Floriano de Paula, de 30 anos, confessou ter contratado dois funcionários do seu lava jato para executar a vítima, a qual foi morta com cinco disparos de arma de fogo, no dia 13 de setembro, por volta das 1h30 da madrugada, ao retornar do trabalho. 

O principal suspeito, Tiago, confessou ter contratado seus funcionários de nomes João Vitor Pereira, 18 anos, e Gilmar Oliveira dos Anjos, 25 anos, para executarem Jakielly.  Durante o interrogatório, o mandante confesso disse ter prometido a quantia de R$ 2.000,00 para João Vitor e R$ 1.500 para Gilmar Oliveira. O motivo, segundo relatou Tiago, foi pelo fato da vítima ter solicitado o reconhecimento de paternidade de um filho que ela possui, de oito meses, fruto de um relacionamento com o mandante.

Ao serem interrogados, João Vitor e Gilmar Oliveira, confessaram o delito, tendo o primeiro confessado ter efetuado os disparos contra a vítima e o segundo disse ter pilotado a motocicleta utilizada na prática do delito. Ambos também disseram terem sido contratados por Tiago e que receberiam recompensa após a execução.

Crime

No dia 13 de setembro de 2018, por volta das 01h30min, a jovem Jaqkielly Pontes da Silva (25), retornava do trabalho em uma motocicleta Honda Biz quando ao cruzar a rodovia BR 364, próximo a área central de Jaciara, foi surpreendida e atingida por aproximadamente 05 disparos de arma de fogo. Jakielly não resistiu aos ferimentos e faleceu ainda no local.

A equipe de Policiais Civis de Jaciara compareceu no local e imediatamente passou a investigar o homicídio, tendo sido logo apurado que Jakielly era pessoa trabalhadora, mãe de três filhos, não possuía vícios ou dívidas e estava retornando do trabalho (uma conveniência) quando assassinada. Ainda, nada foi levado de Jakyelly após ela ter sido morta.

O principal suspeito foi preso no mesmo dia do assassinato, assim que a Policia Civil descobriu que recentemente Jakielly havia ingressado com uma ação de reconhecimento de paternidade postulando para que Tiago Floriano reconhecesse uma criança de oito meses. Ainda, apurou-se que no dia 10 de setembro ocorreu audiência no Fórum de Jaciara em que Tiago se recusou a reconhecer voluntariamente a criança de Jakyelly  e na quarta dia 12 de setembro, um dia antes do crime, os dois e a e a criança forneceram material genético para exame de DNA.

O delegado João Paulo destacou o empenho de toda a equipe de policiais civis da Delegacia de Polícia de Jaciara que com muito trabalho e dedicação conseguiram em poucos dias elucidar o grave crime com a identificação e prisão do mandante e dos executores. Todos se encontram presos e o Inquérito Policial será concluído no prazo de 30 dias.



deixe sua opinião






  • Máximo 700 caracteres (0) 700 restantes

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem.

    Clicando em enviar, você aceita que meu nome seja creditado em possíveis erratas.



mais lidas de Polícia

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
TOPO

Contato

Redação

Facebook Oficial

Kanix Web Developers